Velozes e Furiosos 7 | Crítica


Nunca diga adeus mas um até logo!

O aguardado sétimo filme da franquia Velozes e Furiosos não decepciona mas também ...
O filme era aguardado não somente por ser a despedida de Paul Walker mas também por todos os milhares de fãs que a franquia conquistou e manteve todos esses anos.
Velozes 7 tem muitas coisas nostálgicas, uma delas foi retornar a Tóquio e rever os protagonistas do terceiro longa e finalmente entrar na linha do tempo correta ( já que o quarto, quinto e sexto filme se passam antes do Desafio em Tóquio).
Em dos pontos fortes do filme são as cenas de ação, e como tem cenas de ação! Porrada, tiro e muitas manobras radicais, algumas delas radicais demais mas já como de costume na franquia, há certos momentos em que praticamente temos que desligar nosso cérebro se quisermos continuar a assistir. Com algumas cenas bem forçadas a ação do filme segue frenética até o final.
Sinto que poderia ter aproveitado muito mais a experiencia se não tivesse visto uma enxurrada de trailers e featurettes, tirando um pouco o fator surpresa e aumentando as expectativas. 
É impossível olhar para Paul Walker na telona e não lembrar da triste fatalidade que vitimou o ator, porém o filme soube levar bem a situação e em pouquíssimas cenas podemos perceber o uso de tecnologia. 
Jason Statham como sempre badass, convence não somente nas cenas de lutas nas quais o ator é mestre, mas também na rivalidade criada entre seu personagem e Dominic Toretto (Vin Diesel).
Tentando não dar spoiler, porém tenho que ressaltar, Velozes 7 tem um final genial dentro de sua precisão  
Antes que pensem que não, eu gostei sim do filme, ele tem muitas cenas divertidas e clássicas. Por serem personagens que a mais de 10 anos conhecemos e temos um certo carinho, com certeza isso influencia na nota final. 

Nota: 7,5/10




 Leia + sobre Velozes e Furiosos 7


Google Plus

Autor: Marlon x

#UnaseaLiga
    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário