A Rainha Vermelha | Resenha



Uma sociedade definida pelo sangue. Um jogo definido pelo poder.
O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso... Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.



A Rainha Vermelha foi lançado em 2015 e já estreou 1º lugar na lista do New York Times. Sua escrita dinâmica e completamente instigante é um dos pontos altos do livro. O livro é uma mistura de distopia e fantasia.
A história é narrada em primeira pessoa por uma garota de 17 anos, quase 18, chamada Mare. 
sociedade que Victoria Aveyard criou, é dividida pela cor do sangue. Existem pessoas com o sangue vermelho e pessoas com o sangue prateado, literalmente. As pessoas com o sangue vermelho são os pobres, a escória, os plebeus. Já os prateados, são a elite, que além de ricos, também possuem poderes sobrenaturais. Como manipular o fogo, controlar o clima e ler mentes. Eles vivem em sistema de monarquia, ou seja, tem Rei, Rainha, Príncipe e etc. E claro, todos de sangue prateado.
Mare tem quase 18 anos, é de sangue vermelho e não tem emprego. O grande problema é que em Norta, todos que completam 18 anos e não possuem um emprego, uma serventia para os prateados, é enviado para a guerra. Tanto meninos quanto meninas.
Porém, após um incidente, Mare, acaba acidentalmente roubando o filho mais velho do Rei. Que depois de ouvir a história de vida da moça, fica compadecido e a libera sem nenhuma punição aparente. No dia seguinte, a casa de Mare é invadida pelos prateados e ela descobre que conseguiu um emprego no palácio real. E pouco tempo depois da chegada de Mare ao palácio, ela descobre que está acontecendo um grande evento, a Prova Real. Que consiste em reunir a elite prateada, para que possam apresentar suas filhas ao filhos do Rei. Nessa espécie de seleção, as garotas devem demonstrar seus poderes, para enfim ser escolhida a futura rainha.
Mas como nem tudo são flores, acaba acontecendo um acidente com Mare e ela descobre que tem PODERES. Uma vermelha com poderes. O rei tentára contornar a situação e Mare vai vivenciar uma infinidade de situações nada confortáveis.

O livro se assemelha a alguma histórias que já conhecemos. Por exemplo, A Seleção, Jogos Vorazes e X­-Men. Mas a construção da sociedade é tão autêntica, que a questão das referências não chegam a incomodar.
A sociedade é toda cheia de detalhes, o que faz parecer cada vez mais real. E a Victoria agradou a muitos com sua narrativa. No geral, no meu coração, em escala de 0 á 5, este livro merece 4 estrelas. E por quê não 5? Porque apesar da narrativa ser maravilhosa, o começo do livro é meio confuso e demora uns 3 capítulos para prender o leitor. Mas depois de certo ponto, tem muita ação e surpresas. Uma leitura super recomendada, que certamente deixará você com a boa e velha ressaca literária.

 Nara Brito

A Rainha Vermelha é o primeiro livro da Trilogia Red Queen. O segundo volume " A Espada de Vidro" tinha data prevista de lançamento nos Estados Unidos para o dia 9 de Fevereiro. Mas, para alegria de todos, já tem em alguns sites brasileiros vendendo esta maravilha. E também tem um conto chamado "A Coral Cruel", que intercala esses dois volumes. Mas nada obrigatório. E existem alguns boatos sobre um futuro filme da saga.
O mundo é prateado, mas também cinza. Não existem o preto e o branco. Pág. 235


A Rainha Vermelha | Nota: 4/5


Google Plus

Autor: Nara Brito

#UnaseaLiga
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários :

  1. Ótima resenha Narinha, fiquei com vontade de ler o livro.
    Participando !❤❤

    ResponderExcluir
  2. Excelente resenha para quem ainda não leu o livro, como eu!
    Ele já está na minha lista, porém, como tenho muitos na frente, preciso adiar essa leitura.
    http://www.penapensante.com.br/

    ResponderExcluir