Jessica Jones | Review




Sinopse - "desde que sua curta jornada como super-heroína terminou em tragédia, Jessica Jones (Krysten Ritter) tem reconstruído sua vida pessoal e carreira como uma detetive particular em Hell’s Kitchen. Atormentada por autodepreciação e um forte caso de estresse pós-traumático, Jessica luta contra demônios que vem de dentro de si e os de fora, usando suas habilidades para aqueles que precisam… Principalmente se eles estão dispostos a pagar a conta."


Marvel’s Jessica Jones é a segunda de quatro produções épicas de aventura que chegarão com exclusividade aos membros da Netflix (além de Demolidor, que estreou dia 10 de abril, Jessica Jones, Luke Cage e Iron Fist protagonizarão mais uma minissérie original chamada The Defenders). Marvel’s Jessica Jones traz um olhar afiado, com recortes de suspense, sobre a vida de uma das personagens mais populares da Marvel na última década, e sua maneira de enfrentar os demônios interiores e exteriores. A série tem 13 episódios que já estão disponíveis na Netflix.

Sobre a série:
Depois do final trágico para sua curta trajetória como heroína, Jessica Jones está reconstruindo sua vida pessoal e sua carreira de detetive em meio aos casos de Nova York.

Review 
 Em sua estreia na NetFlix (20), maratonei de uma só vez os 13 episódios da primeira temporada de Jessica Jones. Inicialmente senti com a falta de ritmo da série, que apostava no background dos personagens. Após alguns episódios fui me envolvendo com a trama e também baixando minhas expectativas (criadas por conta do excelente Demolidor).
Só que ao contrário da série do Homem Sem Medo, Jessica Jones é uma série mais parada, com menos ação, tendo como plot a investigação. Alias investigadora é a profissão da protagonista que ainda luta para superar seus traumas do passado, causados pelo vilão Killgrave (David Tennant).

Krysten Ritter mandou bem como Jessica Jones, conseguiu ser forte e perturbada assim como a protagonista pedia. Jones literalmente não faz parte do esteriótipo das heroínas mas talvez esteja ai o charme da série.
A série tem boas tomadas assim como o Demolidor, com cenas belíssimas tendo Nova York como plano de fundo. Foi muito bom retornar a Hell's Kitchen e matar as saudades.
Assim como em Demolidor a batalha em NY (Vingadores) é citada algumas vezes, mostrando mais uma vez como a invasão afetou a população.



Killgrave é um dos grandes destaques da série, sua influência nos personagens vai crescendo até sermos apresentados a alguém com tamanho que se não nos faz desejar ser ele, ao menos alguns, torcer por ele. Ele está ligado a todos os acontecimentos da série e é um vilão a altura.
Outro ponto alto da série é Luke Cage (Mike Colter), poderoso e misterioso digno de protagonizar sua própria série. É interessante ver sua relação com Jessica, não soa forçado, me fez querer ver mais do personagem, que some em vários episódios.

Talvez Jessica Jones não seja uma série para se maratona, por conta de seu ritmo quase me entediei em alguns momentos. A série aborda alguns temas que dificilmente veríamos em outras produções da Marvel como aborto e estupro.
Mas a temporada foi tendo uma grande crescente ao longo dos episódios, com algumas boas cenas de luta, e demonstrações de poderes dos personagens.
Em meio a altos e baixos a encrenqueira Jessica Jones me cativou, ao menos o suficiente para aguardar sua segunda temporada e o grande crossover (Demolidor, Luke Cage, Punho de Ferro "ou Justiceiro") em Os Defensores.


Marvel - Jessica Jones | Nota: 3.5/5




A primeira temporada de Jessica Jones já se encontra disponível na Netflix. 

Leia + sobre Jessica Jones


Google Plus

Autor: Marlon Matti

#UnaseaLiga
    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário